PORTAL BANDA KU - BRASIL E AMÉRICA DO SUL

Google
 
Onde você encontra a orientação técnica que procura



A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V X W Y Z

GLOSSÁRIO - LETRA A

ABERTURA DA ANTENA

Diz-se da área de captação de uma antena parabólica ou esférica.

AC3

Código de Áudio 3. Esquema Dolby de codificação de áudio. Codificação de áudio do padrão americano ATSC (Advanced Television System Commitee.

ACOPLADOR DIRECIONAL

Emprega-se quando somente uma fração da energia de RF necessita ser direcionada a outro ponto. Ao se selecionar um valor em dB, do acoplador, se indica quantos dB´s, abaixo da energia principal, se está extraindo. A característica principal desse dispositivo é a direcionalidade, quer dize, a isolação, em RF, entre a saída direta e a saída TAP.

AFC

Acrônimo de Automatic Frequency Control. Ver CAF.

AGC

Acrônimo de Automatic Gain Control. Ver CAG.

ALIMENTADOR

Diz-se do dispositivo que coleta os sinais de micro-ondas refletido pela superfície de uma antena parabólica ou esférica. O alimentador se monta no foco da antena, nas antenas que não usam sub-refletor, ou seja, nas antenas prime focus ou ponto focal.

ALIMENTADOR ESCALAR

Diz-se do alimentador cuja geometria é uma série de aneis concêntricos, dispostos em um mesmo plano.

ALIMENTADOR LINEAR

Refere-se ao alimentador, no sistema de iluminação de uma antena parabólica ou esférica, que se polariza horizontal e verticalmente.

ALIMENTADOR CIRCULAR

Refere-se ao alimentador, no sistema de iluminação de uma antena parabólica ou esférica, que se polariza circularmente à direita e à esquerda.

ALINHAMENTO

Refere-se ao processo de direcionamento, com ajuste fino, de uma antena para maximizar a sua capacidade de recepção de sinal.

AMPLIFICADOR DE LINHA

Um disposito eletrônico que, inserido na linha de transmissão, aplifica a intensidade do sinal.

ANALÓGICO

Diz-se do sistema em que o sinal varia continuamente.

ÂNGULO DE COMPENSAÇÃO

No sistema de posicionamento polar da antena, diz-se do incremento angular que se aplica ao montador polar, para que a antena se alinhe com pontos na órbita geo-estacionária, no seu movimento em torno do eixo polar, durante o rastreio de um satélite.

No sistema de orientação azimutal, diz-se do ângulo que se aplica no alinhamento da antena, para compensar a declinacão magnética do local.

ÂNGULO DE POLARIZAÇÃO

É o ângulo segundo o qual a sonda do LNB/LNBF aponta o satélite alinhado. O ângulo varia de aproximadamente -89 graus a +89 graus para satélites situados baixos na linha do horizonte a oeste e a leste. O ângulo de polarização nulo é aquele em que a sonda aponta o satélite, quando a longitude do satélite é igual à longitude do local da instalação da antena. A sonda ajustada nessa posição corresponde à polarização vertical e ortogonalmente à polarização horizontal, no sistema de polarização linear, ou respectivamente à polarização à direita e à esquerda, no sistema de polarização circular.

ÂNGULO POLAR

É o ângulo numericamente igual à latitude do local da antena e corresponde a uma direção paralela ao eixo imaginário do globo terrestre. No sistema de posicionamento polar da antena, é o ângulo que eixo de giro da antena faz com a normal ao plano horizontal do local da antena.

ANTENA

É um componente da instalação de recepção de sinais de satélite responsável pela captação dos sinais irradiados.

ANTENA ASSIMÉTRICA

Diz-se da antena de recepção de sinais de satélite, mais comumente utilizada nos sistemas DTH e VSAT, onde aparentemente o foco é deslocado do seu eixo. Essa antena é conformada a partir da tirada de um disco da superfície de um parabolóide maior, resultando na sua assimetria. Nesse tipo de antena, o bloqueio se dá fora da superfície útil da antena.

ANTENA CASSEGRAIN

É uma antena de superfície parabólica em que o seu sistema de iluminação inclui um refletor primário, a própria superfícia da antena e um refletor secundário hiperboloidal, ou sub-refletor hiperboloidal, que direciona o sinal de microondas para um guia de ondas colocado no foco da hipérbole, acoplado a um amplificador de baixo ruído.

ANTENA ESFÉRICA

É a antena cuja superfície refletora é conformada segundo um esferóide e o seu foco desloca com o ângulo de incidência da frente de microondas. Presta-se para receber sinais de mais de um satélite em seus múltiplos focos.

ANTENA GREGORIANA

É uma antena de superfície parabólica em que o seu sistema de iluminação inclui um refletor primário, a própria superfícia da antena, e um refletor secundário elipsoidal, ou sub-refletor elipsoidal, que direciona o sinal de microondas para um guia de ondas colocado no foco da elipse, acoplado a um amplificador de baixo ruído.

ANTENA OFFSET

Ver ANTENA ASSIMÉTRICA.

ANTENA PARABÓLICA

É uma antena cuja superfície refletora é conformada segundo um parabolóide dado pela função y=(x*x)/4f e com propriedade de refletir em um único ponto, o foco, a frente de micro-ondas que incidir paralela ao seu eixo. Na função dada, y é a profundidade da parábola, x é o semi-diâmetro e f a distância focal.

ANTENA SIMÉTRICA

Diz-se da antena parabólica de recepção de sinais de satélite, em que a sua superfície paraboloidal denota simetria, tendo no seu eixo o ponto focal. Nessa antena a área de bloqueio reduz a superfície de reflexão útil. Esse tipo de antena é mais comumente utilizado na Banda C.

APID

É um acrônimo de Audio Package Identification, parâmetro necessário para decodificar o sinal de áudio no sistema de TV digital MPEG.

APOGEU

É o ponto mais alto ou mais afastado da terra numa órbita elíptica descrita por um satélite em órbita.

ARCO DE VISIBILIDADE

É o arco da esfera celeste sob o qual uma determinada localidade da superfície terreste visualiza, de horizonte a horizonte, satélites dispostos na órbita geo-estacionária.

ATENUAÇÃO

É a dimunuição da potência do sinal que ocorre em um dispositivo ou quando um sinal viaja para atingir um destino (perda de percurso, ou path loss).

ATSC

Um acrônimo para Advanced Television Systems Committee, e uma denominação pela qual se refere o padrão de TV digital (DTV) usado pela emissoras americanas.

AZIMUTE

É o ângulo indicado pela bússola, contado a partir da direção do norte geográfico ou norte verdadeiro, rotacionando-se no sentido horário. É uma das duas coordenadas utilizadas no sistema azimute-elevação de alinhamento de antena com satélite.

AZIMUTE-ELEVAÇÃO

Diz-se do sistema de alinhamento de uma antena com um satélite, em que a antena é movimentada em duas direções: no plano horizontal (azimute) e no plano vertical (elevação).

(c) 2003-2009 G. Paiva Ass. e Cons. Ltda
Edição e Manutenção: Geraldo Paiva
Última atualização: 16.09.2009

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V X W Y Z